sexta-feira, 16 de julho de 2010

Não come nada mesmo...


Não, Daniela nunca foi uma criança que come muito, nunca foi gordinha e nem esganiçada por nada, nem doces! Mas sempre foi saudável! Ponto! E acho que é o que importa!
Mas sabe quando as avós ficam na sua orelha com a mesma ladainha "Essa menina não come nada!", "Só a mãe vê ela comer." entre outras agulhadas? E sabe quando você tem vontade de falar "%@#$%*&^#@$%^%"? Pois é... Há quatro anos engulo esse blá blá blá! Não, não tenho vocação para Madre Teresa, mas sou educada e relativamente paciente!
Ontem fiz uma sopinha daquelas que minha família AMA! Modéstia parte, minhas sopas, minhas polentas, minhas macarronadas, minhas dobradinhas e muitos outros pratos são de lamber os beiços! Mas a sopa é preferência aqui em casa. "Dani, não demore que fiz sopa hoje!" e a resposta é "Ebaaaaaaa!!!!!!"... "Daniela, vamos fazer uma sopinha da mamãe?" e a resposta é "Vamos, eu corto a batata salsa e a cenoura!". E comem, muito bem obrigada!
E, ao telefone com uma das avós...
EU: "Ah, eu tô aqui fazendo uma sopinha pra Dani! Tá frio demais!"
AVÓ: "Mas ela não gosta de sopa."
EU: "Ela adora sopa! Come dois pratos fundos com pãozinho!"
AVÓ: "Ahhhh, mas lá em casa ela pediu sopa, fiz uma de conchinhas e ela deu duas colheradas e disse que não gostava!"
EU: "Era sopa com legumes de verdade ou era de pacote?"
AVÓ: "De pacote, né!"
EU: "É verdade, ela não gosta! Ela gosta da sopinha temperadinha da mamãe! Ela não gosta desses de pacote, nem miojo ela curte!"

Tóin!
E aí? Julgam que ela não come nada, mas oferecem um tipo de comida de astronauta para uma criança que, só ontem, comeu uma caixa de morangos, uma banana caturra e duas fatias de mamão. Almoçou um prato de macarrão ao sugo. Lanchou seis bisnaguinhas com manteiga.
Coitadinha, não come nada!

Agora, deixando as reclamações de lado e partindo para as preocupações...
Tenho muito medo desses comentários maldosos com minha filha. Tenho medo que ela passe a comer compulsivamente na casa das avós só para não aguentar essas enchessão. E tenho medo que ela se torne uma criança/adolescente complexada por ser magrinha, ou que engorde demais por contas desses comentários. Sério! Tenho medo! Porque acredito que ela come o quanto basta a ela. Ela não emagrece, mas engorda pouco! Corre e pula o dia todo, gasta muita energia! AMA chocolate e come o quanto eu e o pai permitimos...
Juro, quando eu for avó vou ter um pingo de bom senso! Acho que essa questão de "só é saudável se tem dobras" é muito relativa! Tem tanta criança, cria de Farinha, com dobrinhas que um dia serão, ou obesos mórbidos, ou hipertensos. Minha filha é saudável, e acho que isso é o que importa! A quantidade do que ela come, não é tão importante quanto a qualidade!

E, avós de plantão! SE LIGUEM! Achar neto gordo que come se nunca mais fosse comer na vida, é coisa de antigamente! tentem não contribuir para o desenvolvimento de mais obesos, bulímicos e anoréxicos do futuro! Mesmo porque, mãe sabe melhor do que as avós o que faz com os filhos!
Beijos

2 comentários:

  1. Nossa!
    Esse texto poderia ser meu!! hahahahaha
    Aqui enfrento a mesmissima coisa.
    Sofia SEMPRE foi de comer pouco, mas come. Nunca ligou pra bolachas recheadas, doces...
    Nunca foi uma criança/bb gordinha, mas sempre ganhou peso, sermpre cresceu, nunca ficou doente a não ser 2 resfriadinhos...

    E qdo vai nas avós, ai Senhor, só God pra me dar forças..
    E eu não consigo ser tão fina.

    Mas que dá medo dá mesmo...


    Ainda bem que elas nos tem.

    Beijãoo
    Adorei o blog, tô seguindo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Luciana, cheguei aqui no teu blog através do blog da Isa. E gosto de ler sempre (já lia o anterior). Hoje li teu texto no Mamíferas, uma delícia, parabéns.
    Em relação à alimentação da minha filha, eu vivo exatamente o contrário. Ela é uma criança que se alimenta bem, nem muito nem pouco, mas adora uma guloseima. Exatamente por isso não as tem disponíveis aqui em casa. Guloseimas ficam para um dia de festa, onde come brigadeiro que gosta, ou quando vai ao shopping e quer tomar um sorvete, por exemplo. De resto, arroz, feijão carne e legumes no almoço e na janta (que ela ama!), iogurtes e fruta para os lanches. bem às vezes ela quer uma bolacha ou pão.
    Mas na casa dos avós sempre tem um milhão de guloseimas disponíveis na mesa de centro, à altura dela, e é lógico que ela se aproveita. Daí ficam falando: "Meu Deus, como a Sofia come!! Ela come o tempo inteiro!!"
    Eu me encho MUITO com isso, afinal criam um conceito, que muitas vezes é fácil de ser construído e MUITO difícil de ser desconstruído.
    Fora a questão de oferecer guloseimas o tempo todo, que desestimula a ingestão dos alimentos saudáveis (e necessários) na hora das refeições...
    Affff viu...
    Um beijão, boa sorte na chegada da Alice.
    Milena

    ResponderExcluir