domingo, 27 de junho de 2010

Quando foi que minha filha cresceu?

Nasceu pequenina, cabeluda, choro forte e alto. Mamava muito, chorava para tomar banho, até a mãe descobrir as maravilhas da shantala, que ela adorava!
Era trocada, ninada, um bebê como todos, dependente de tudo! Sempre teve o pai e a mãe ao lado dela, sempre atentos e preocupados com seu desenvolvimento físico e psicológico. Sempre teve muito amor e carinho, pais eternamente presentes na vida dela, o pai trabalhava muito, mas sempre esteve presente. A mãe sempre foi a primeira a ver tudo. O primeiro sorriso, o primeiro dentinho. Os pais sofreram nos intermináveis dias de adaptação da escolinha, choravam todos os dias ao deixá-la na escola.
Optaram por deixá-la em casa por mais um tempinho. tentaram novamente, mas perceberam que escola tradicional não era muito a praia dela. Ela começou a "estudar" em uma escola com pedagogia waldorf e se adaptou de forma inacreditável! E assim, resumidamente, ela cresceu!
Foi muito rápido, 4 anos e 3 meses já... Hoje ela toma banho sozinha, se veste sozinha, escolhe as roupas que quer vestir, negocia seus desejos, quer dormir no sofá sozinha, não chama a mãe com tanta freqüência para ajudar no banheiro, dorme na casa das avós, abre a geladeira e, se a màe bobear até se serve do que quer comer sozinha.
ELA é a Dani, a mãe sou EU! E hoje fiquei muito feliz por receber em breve a Alice, ter novamente um bebê dependente em casa. Porque tenho me sentido inútil! Minha filhota faz tudo sozinha, elabora raciocínios complexos e conversa como se fosse uma adulta miniatura! LINDA!
Mas... Quando foi que ela cresceu que eu não percebi?

3 comentários:

  1. esqueceu de comentar que ela cuida da prima tb... "é puque eu sô gandi" rsrsrsrs...

    ResponderExcluir
  2. que bom que está de volta!!!!
    já linkei!
    sua filha é uma graça
    bjinhos
    carol
    http://viajandonamaternidade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Lu, o tempo passa muito rápido. É a única coisa que eu falo pra quem tem filho pequeno e acha que está no olho do furacão.
    A nossa diferença é que não vou passar por isso de novo, não tenho esse desejo, não agora.
    Mas também tenho saudade demais.
    Bjo

    ResponderExcluir