terça-feira, 20 de setembro de 2011

O que mudou?


Hoje, li um artigo em uma revista que era um divã, um casal com um bebê de 11 meses abrindo o jogo sobre tudo o que mudou (para melhor e para pior) após o nascimento do filho.
E, é claro, como toda mulher leu esse artigo (e eu tenho certeza!) fiquei me perguntando o que mudou e se essas mudanças foram boas.
Que loucura! É muita coisa, e é muita coisa boa e muita coisa ruim.
"Quando meu marido ler isso (se ler!) vai ficar com aquela cara de ponto de interrogação. MAs tudo bem, AMAR É SURPREENDER!"
- A primeira mudança foi o sono. Sempre curti dormir até tarde e ir dormir tarde. Ver Altas Horas, esperar o marido chegar
dos bailes e casamentos às 4h da madrugada, papear e dormir junto, sabendo que no dia seguinte poderia dormir o dia todo, sem hora nem para almoçar;
- Bem, meu corpo! Esse nem preciso falar! Sempre fui o tipo mignon, miúdinha, saradinha, sem barriga e com peitos super proporcionais ao meu corpo. Usava calça 36 tranquilamente, sutiã 44 e vivia com as unhas feitas. Mas aí, tudo mudou! Descobri o que é precisar deitar para vestir um jeans (não, não imaginem a cena, é ridícula!). Posso dizer que meu sutiã agora e tamanho "Meu primeiro sutiã", acho que por isso tenho abusado dos tops! Unha, cabelo, depilação... Tudo luxo! Me sinto outra mulher quando consigo dar um tapa no visu! Ahhhhhh, sem contar as rugas, marcas de expressão e cabelos brancos...
- Festas, baladas, cinema... O que é isso? Ainda existe? Quais são os points da cidade? Juro, ando tão por fora que não faço nem idéia quais as marcas de cerveja que vendem hoje na night! Isso me faz muita falta...
- E claro, se a balada me faz falta, amigos também fazem! Não sou uma pessoa sem amigos, longe disso! Mas mudaram meus interesses, mudou meu foco. Amigos sem filhos não querem saber que na semana passada Alice engoliu uma bexiga e que ela saiu no cocô. Ou qu
e a cama compartilhada faz bem para a família toda. Na verdade eles nem sabem o que é cama compartilhada (pelo menos não com filhos!). E os que tem filhos, com o mesmo foco e interesses são como eu, atarefados, cheios de trabalho e funções familiares. Ou seja, quando rola um encontro, tento aproveitar ao máximo porque sabe lá quando teremos outra oportunidade para saber se só na nossa casa filho acorda bem na hora H.
- E por falar em Hora H... Nossa, como mudou! De picante, longa,
a qualquer hora do dia ou da noite, a hora H passou a quase inexistente. Tudo bem, que hoje, no auge dos meus trinta anos, com a experiência da primeira filha, as coisas são diferentes. Abandonei a cinta antes dos três meses. Bem como os sutiãs de amamentação (abomináveis). Uma pena que os seios em formato perfeito só durem os primeiros meses pós parto... Aos poucos tudo se adapta, e o sexo é uma coisa que mudou. Ahhhh, sem contar que o aliado é o escuro. De lei, luz apagada!
- Humor, o que é isso? Paciência, hein? Tolerância zero! Como pode o pavio encurtar tanto, coisas tão banais incomodarem tanto...
- Amor pelo maridinho! Engraçado... Que atire a primeira pedra quem, depois que os filhos nasceram, não pensou em largar tudo e viver sozinha essa nova fase. MUITAS VEZES! Mas o amor é mais forte...

A verdade é que tudo mudou! Eu mudei, deixei de ser filha e passei a ser mãe. Não sou mais só a esposa, sou mãe. Não sou só eu, somos nós! Sinto falta de sair, sinto falta de namorar a qualquer hora, sinto falta de um cinema...
Mas tudo isso é compensado por um sorriso, um cheiro, um carinho, um colo. Tudo isso é compensado pela saudade que sinto da Dani quando dorme na casa da vó, a saudade que sinto quando Alice dorme mais de duas horas seguidas durante o dia, a saudade que sinto do marido quando sai ou viaja... Pela certeza do amor sincero que recebo todos os dias.
E, na moral, mudar é tão bom!

Beijos
-

Um comentário:

  1. Apoiada Lu.
    Quando as pessoas me diziam: tenham filhos, não muda quase nada. Eu dizia : então vou ter pra que? quero que mude e muito!!!
    Todas sabemos que não é comercial de margarina, mas que vale a pena.
    Beijos nas 3.

    ResponderExcluir