quarta-feira, 11 de julho de 2012

Minha mãe foi embora sim, por quê?

Não lembro o porque, sei que fui uma das razões. Hoje, sei que ela não estava feliz e digo que maternidade não é sinônimo de felicidade!
Terceira filha indesejada (acidentes acontecem), essa sou eu! e, nessa hostória, qualquer semelhança é mera coincidência (not)!
Ela foi embora, pegou suas coisas e sumiu no mundo! Lembro de algumas vezes em que estive com ela e, nenhuma delas é uma lembrança agradável. Mulher fria, interessada em pensão do ex-marido que havia ficado com a guarda dos três filhos. Não lembro de manifestação de afeto, carinho, palavras amáveis, elogios. Lembro da ângustia que sentia quando ia encontrá-la.
Meu pai, homem bom! Um pai perfeito! Fazia de um tudo pelos filhos! Sempre muito presente, cozinhava, lavava e passava! Um super homem, respeitado em seu trabalho, delegado, rígido na educação dos filhos. Perfeito mesmo! Quem tem um pai como ele não precisa de mãe!
Ele casou-se e eu ganhei uma mãedrasta e dois irmãos caçulas. Uma mulher linda, carinhosa, dedicada, trabalhadora, um exemplo!
Mas sempre que me perguntavam da minha mãe biológica a resposta era a mesma: "Não sei, mas foi o melhor que ela fez por mim!". E foi! Tive todas as oportunidades que ela jamais me ofereceria, tive amor e carinho que ela não conseguiria me dar.
Mas, durante toda minha vida eu a odiei! Sempre! Eu odiava por ela ter me rejeitado, por nunca ter me ligado, por não querer saber de mim ou da minha vida!
Certa vez, quando eu estava com 22 anos, ela ligou! A tratei mal, disse que ela não era minha mãe e desliguei o telefone. Antes, ela me disse que sabia que eu fazia faculdade, era professora, estava namorando e feliz. Senti mais ódio ainda, porque se ela sabia de tudo aquilo, porque nunca me ligou? Porque nunca fez contato?

Há três meses me descobri grávida de um terceiro filho! Gestação não planejada, um susto! E, pela primeira vez em minha vida, senti remorso e comprendi minha mãe biológica! A vida não acontece como queremos!
E, temos dois caminhos a seguir. O da força de encarar os problemas, as adversidades, as conbeanças e os inúmeros momentos de desespero ou o da fraqueza em ue a fuga se torna tentadora!
Ela fugiu! Foi embora sem olhar para trás...

5 comentários:

  1. uau lu! fiquei sem ar. mas que OTIMO o processo de desabafo, reconhecimentos... eu DEVERIA escrever pra por pra fora o que penso e assim quem sabe alivir um pouco as tensoes, mas como sou uma auto-sabotadora nata, obvious, penso penso penso e logo "desisto"! guria, to contigo e nao abro, TENTA nao se cobrar tanto, e realizar apenas o que vc consegue e que te de prazer... eu to tentanto isso, mas e' dificil...... Deus te abencoe!!! super beijos

    ResponderExcluir
  2. Lu, sua hitória de vida não é nada fácil, e tenho certeza que foi ela que a fez uma mulher maravilhosa e uma mãe incrível, mas acho também que com tanta coisa que aconteceu e que está acontecendo agora na sua vida você precise de um espaço para falar de vc. Um espaço para vc. Sei que vc quer uma história de parto diferente com sua linda bebê que carrega no ventre, e acho mesmo que todo esse peso da vida precisa ser falado e elaborado. um beijo grande (não precisa aceitar o comentário, ok?!)

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lu! Se ela fosse embora sem olhar para trás, não teria te ligado aos 22 anos de idade e nem saberia ou faria questão de saber como vc estava. Aprendi que mãe faz o melhor que pode e que consegue. Talvez ela deixando vc pelo seu pai ela permitiu que vc tivesse um carinho disponível e amor que talvez ela não se sentisse na época apta a lhe dar. Existem razões que sua mãe deve ter na época, que talvez para vc façam sentido nesse momento. Eu acho que mereceria uma conversa franca entre vcs duas. Ninguém dá o que não tem. Sua mãe merece ser ouvida com carinho. Desejo serenidade, aceitação, crescimento. Crescer dói, não tem jeito! Que vcs três possam criar laços maiores e dissolver pré-conceitos do passado. Permita-se ser feliz e sua mãe também. Desculpe se fui invasiva, mas precisei escrever isso.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, quer história! Que bom que agora vc está conseguindo entender sua mãe... as experiências que vc passou te fortaleceram, pode acreditar nisso!!! Mil bjs, seja muito feliz nessa terceira gestação, sei como é o susto de um filho não planejado, rsrsrsrs...

    ResponderExcluir
  5. seu texto me fez bem... de alguma forma me incomoda as máximas que se ouve por aí "mãe é mãe!", "quando você tiver filho vai entender"... Nunca tive boa relação com minha mãe, embora ela não tenha fugido... Mas, há um ano não temos contato, mudei de estado e ela por picuinha boba me desligou de sua vida, nos desligamos... não tenho nenhum contato nem com ela, nem com meu pai, e 2 irmãos, todos adultos já... Tenho 28 anos, sou independente, desde os 16 não moro com meus pais, saí da cidade do interior fui pra capital estudar, me formei, casei... tudo como manda o figurino... hehe mas,nunca fui "boa" o suficiente pra eles... Sempre fui " a diferente", com ideias moderninhas, artista... Hoje olho pra trás e consigo ver que não perdi minha mãe ano passado, acho que nunca tive... sou a mais velha, ela era muito nova talvez... nunca ganhei um abraço, nunca penteou os meus cabelos pra me acarinhar, nunca disse que eu estava bonita, nunca me olhou no olhos com carinho... Muito pelo contrário, na infância na roça, eu e minha irmã apanhamos muito... Nunca tive esta mãe, e nem acredito que "mãe é mãe"... encontrei este carinho em muitas outras pessoas em meu caminho...
    desculpa o desabafo

    LILIAN

    ResponderExcluir