sábado, 9 de junho de 2012

A mãe que tenho me tornado...

Alguns assuntos a respeito da maternidade são um tanto polêmicos. A forma como eu materno minhas crias é muito diferente da forma que muitas outras mulheres cuidam das suas.
Quando a Dani nasceu, há seis anos, eu seguia um fluxo de massa. Muitas vezes senti ou pensei diferente, mas todo mundo fazia assim, porque eu faria diferente?
Quando ela tinha seus dois anos eu compreendi coisa. Entendi vazios e escolhas. Há quatro anos me tornei uma mãe maternal, que olha, sente, tenta ouvir e se ouvir. Que questiona e nada contra a corrente. Não é fácil, gasta muita energia, demanda tempo e paciência com as mãezinhas que se sentem julgadas quando faço alguma afirmação baseada em evidências, principalmente no quesito amamentação e parto (tive duas cesáreas!?). Mas, hoje, entendo que a revolta das mãezinhas é pela falta de esclarecimento das decisões que elas não puderam/quiseram tomar. Já fui assim!
Desenvolver o maternar foi maravilhoso, mas não é fácil! Porque lidamos com respostas que saem do comum! Quando preciso chamar a atenção das meninas, tenho que estar completamente presente e consciente de que tudo o que for dito ficará marcado de uma forma boa ou ruim, depende da abordagem.
Ainda tenho muitas falhas! Preciso brincar mais com as meninas, me entregar, ouvi-las de coração aberto, sem pré-conceitos ou julgamentos, apenas crianças! Preciso ter mais paciência, e criar mais com elas!
Espero um dia olhar para as meninas e sentir que elas são pessoas mais humanas, sensíveis e que não são mais excessões na multidão!

Um comentário:

  1. Uma mãe FANTÀSTICA!!!... que tem muito a aprender e a mudar e´assumir isso é o que a torna tão fantástica assim... sorte dessas meninas!

    ResponderExcluir