quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Vínculo...

Amei o tema da Blogagem Coletiva da Rede Mulher e Mãe. Porque tenho pensado muito nos vínculos que criamos com os filhos e em como criamos. A verdade é que já começamos a nos entender na gestação.
Tive duas gestações completamente diferentes. Uma tranquila demais e outra conturbada demais. Dois extremos com resultados completamente diferentes.
Eu e a Dani sempre fomos muito ligadas. Eu sentia quando algo acontecia com ela. Eu sentia que ela já estava acordada mesmo em silêncio. Mas ela sempre foi muito PAI, parecida fisicamente e até na forma de brincar, agir, conversar... A Dani dormia sozinha em seu quarto com um mês de vida, ficava quietinha olhando tudo e pouco chorava. Chorava quando tinha cólicas, fome ou estava com a fralda suja. Até hoje é independente, gosta de brincar sozinha, inventa suas brincadeiras e se diverte assim. Lógico, adora ter a compania dos pais, mas quando não é possível, se diverte sozinha mesmo no seu mundinho colorido!
Alice é o oposto da Dani. Mama muito, mama segurando minha blusa ou sutiã, qualquer coisa que garanta que ao dormir a mãe ficará grudada nela. Dorme de rostinho colado ao meu, suando, mas sem desgrudar. Quando acordada, se não tem a mãe em seu campo de visão, dirigindo o olhar diretamente para ela e conversando com ela, chora desesperadamente. Se a mãe se ausenta ela abre o berreiro, e não adianta a Dani tentar colocar chupeta, o pai embalar no colinho: o chororô só pára quando ela cai nos braços da mãe e até suspira!
O vínculo que tenho com as duas é forte, porém é diferente. Alice não gosta de dormir com a mãe cantando para ela, mas a Dani pede pra mãe cantar ou contar histórias. são crianças diferentes com necessidades diferentes.
A Dani tem um forte vínculo com o pai, ama de paixão o Papaizão dela, sente saudades e fala das saudades quando o pai viaja (hoje ela falou que estava morrendo de saudades dele). E esse vínculo já existe há tempos, não foi criado depois do nascimento da Alice.
É isso! Filhos diferentes, vínculos diferentes, amor igual, enorme e incondicional!

Beijos

3 comentários:

  1. Lu, eu li esse post e posso te dizer que eu poderia tê-lo escrito sem tirar nem por uma vírgula, foi como se vc estivesse falando do Leo e da Mariana, exatamente. O Leo é a Dani e a Mariana, a Alice. Como pode né? Serem tão diferentes e terem necessidades tão diferentes. Adorei! Beijocas.

    PS: Fiquei no St Cruz no quarto 308 ;o)

    ResponderExcluir
  2. Lindo...tudo de bom!!!!São duas personalidades perfeitamente distintas e isto é que encanta e aproxima.Mil bjs, saudades, estou longe do TT por um tempo.Fique com Deus!!!Rogéria Thompson

    ResponderExcluir