domingo, 30 de janeiro de 2011

Haja santa paciência!


Ccomplicado!
Ainda estou à procura de uma loja que venda paciência em quilo! Porque está bem difícil aqui em casa!
A Dani anda super ciumenta! Fazendo de um tudo pra chamar a atenção. Chora por qualquer coisa, teima, responde, não quer comer... Aff, que canseira! Ela ganhou da avó uma sandália maldita da Xuxa.
Abro um parênteses para questionar uma pessoa que diz gostar tanto dos baixinhos e assina uma sandália para crianças que tem salto.
Bem, continuando. Essa sandália tem sido motivo de discussões infindáveis, porque eu não deixo que ela use a sandália fora de casa e a avó diz pra ela que o salto é pequenininho e que não tem problema. Aff, que canseira [2]!
Aí vem marido, que dia sim e outro também tem rompantes de irritações "sem motivo" que sugam de canudinho toda minha energia e me deixam pior do que ele.
HAJA SANTA PACIÊNCIA!
A única que tem colaborado para que eu não pire na batatinha é a Alice. Pelo menos ela colabora com a mãe exausta aqui!

sábado, 22 de janeiro de 2011

Do que as mães realmente precisam?


Ontem, lendo essa publicação sobre as necessidades das mães empreendedoras, fiquei me perguntando do que EU preciso para trabalhar tranquilamente em casa. A vantagem de trabalahr em casa é estar perto da minha família em tempo integral. Mas, é também uma desvantagem. Não tenho horários fixos, atendo a todos os pedidos de "Mãe, faz isso...", "Mãe, faz aquilo...", "Gunhéeeeeeeeeeeeeeeeeeee...", "Amor, isso..."... Faço o trabalho da empresa, o trabalho da casa, tento não descuidar do carinho e chamego dos meus três amores, tento não descuidar de mim.

Milhões de coisas vieram na minha cabeça. Mas algumas coisas tem sido essenciais nessa nova etapa da minha vida.

Marido: Trabalhamos os dois em casa. E temos que nos revezar no quesito atendimento aos filhos. Algumas coisas ele não pode fazer (amamentar) por mim, mas sempre que possível quebra um galho com as meninas. É fato: a mulher acumula muito mais papéis do que o homem. Mas, uma louça que ele lave para mim, já é uma mão na roda!

Família: Nas horas em que o trabalho aperta, nada como uma vó que liga e diz "Vou pegar a Dani pra passear!". Porque em casa, além de ficar à Deus dará com seus brinquedos, ela não receberia a atenção que ela gostaria de receber. Com as avós, dinda, tia, tio ela recebe atenção exclusiva e ainda passa dias agradáveis e divertidos fazendo o que gosta!

Internet: Não, se não fosse a internet eu não resolveria nada da minha vida! Sou escrava dela! Total e completamente dependente dela. E, agora meu trabalho exige que eu esteja 24h conectada, lendo e respondendo e-mails, atualizando facebook, twitter e (quando dá um tempinho) o blog.

Ajudante do lar: Diarista seria perfeito. Poderia ser uma vez por semana! MARAVILHA! Mas não tenho ninguém fixo. Como só agora vou começar e ser remunerada, talvez daqui há uns três meses eu possa pensar nesse luxo necessário. Por enquanto vou me virando do jeito que dá. As roupas se acumulam para passar, tudo é feito aos atropelos e quando dá...

Tempo: Isso é o que mais preciso e menos tenho! Faz dias que prometo dormir antes da meia noite. Mas meu dia começa às 7:30h e termina por volta da 1h da madrugada, com direito a mamadas a cada três horas. Ou seja, faz seis meses que não sei o que é uma noite inteira de sono, bem como não sei o que é descansar. Mas, agora, tudo que menos quero é descansar. Quero mais é aproveitar cada minuto que tenho para tocar a Carinho de Pano e ter muito sucesso nessa nova empreitada!

É isso, ser mãe empreendedora nao é fácil não! Mas é bom demais!

Beijos

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Blogagem Coletiva: MÃE x MERCADO DE TRABALHO

É fato: entidades públicas e privadas não têm condições de das subsídios para mães maternarem e trabalharem simultaneamente. Uma pena! Vamos começar com a licença maternidade de quatro meses. Levando-se em consideração que o bebê deve ser amamentado exclusivamente no peito até o seis meses de vida, nossa licença maternidade chega a ser um ultraje!
E aí, a mãe que tem apenas quatro meses para maternar após o nascimento do filho se vê num beco sem saída, num mato sem cachorro, e todos os ditos que couberem a
essa situação.
Bate o desespero e mais dúvidas e culpas se apoderam dessa mulher que, tudo o que mais precisava e queria, era estar com o filhote em casa, amamentando, curtindo, amando...
Muitas vezes existe a possibilidade de largar tudo, adiar o sucesso profissional e ficar em casa curtindo a cria por mais um ano, ou dois.
Muitas vezes essa possibilidade é impensável, pois parar de trabalhar implica em perder uma renda para a família. E muitas vezes, essa renda é de suma importância para manter um padrão de vida básico.
E outras vezes, a opção é usar a criatividade e desenvolver atividades que permitam à mulher ter uma renda e ainda cuidar da famíllia. Sobrecarrega? SIM! MUITO! Mas é a chance de seguir a amamentação exclusiva até os seis meses, é a possibilidade de cuidar da casa e da família e ainda traba
lhar fazendo coisas que gosta sem abdicar de nenhum papel.

Essa foi minha opção!
Quando a Dani nasceu (há quase 5 anos) eu voltei a trabalhar quando ela tinha apenas 3 meses. Pensem em uma mãe culpada, desesperada, insegura. Fui alvo de muitas críticas (nada construtivas) que contribuíram com todo o clima de dificuldade que se criou na minha cabeça. Dani foi para a escolinha com 9 meses (foi horrível), saiu com 1 ano e meio e tive que parar de trabalhar. Voltou aos 2 anos e, com 2 anos e 9 meses saiu novamente da escola e, novamente, tive que parar de trabalhar. Nas duas situações ela precisou da mãe ao lado dela. Ela deu sinais que, se eu não abdicasse da minha carreira seria cobrada no futuro.
E nos dois momentos foi a melhor opção.
Quando engravidei da Alice, de cara decidi parar de trabalhar fora de casa. Trabalhei os nove meses e
m casa, fazendo bicos, mas pertinho da Dani e cuidando da minha gestação como se fosse a última (e será!). Agora, depois de cinco meses que Alice nasceu estou na ativa novamente.

E aproveito esse post para contar que assumi o comando da Carinho de Pano, empresa especializada em slings e artigos para bebês. Estou realizada e feliz, pois estou trabalhando muito ao lado da minha família!

E, finalizando o post, deixo meu conselho: SIGA SEU CORAÇÃO! Se a necessidade impedir que você fique 20h ligada à cria, não se culpe. Tente fazer o melhor possível do tempo que passa ao lado dos seus. Nem tudo pode ser como queremos, mas temos que fazer o possível para que tudo seja feito com amor e carinho!

Beijos

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Materniade X Trabalho


Amanhã, será realizada uma blogagem coletiva com o tema "A forma de acolhimento do bebê e da mulher no mercado de trabalho."
Manifeste sua opinião, voltar ao trabalho e depender de babá, creche, avós...
Desistir da carreira temporariamente e marternar até o momento em que o coração diga que o filhote está pronto para encarar o mundo sem a mãe...

Como o mundo recebe mãe e bebê???

Beijos

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Este ano quero paz pro meu coração...


Viva 2011! Viva o fim de um ano digno de ser esquecido, que só me trouxe Alice de bom! Viva um ano que já entrou me trazendo alegrias e coisas boas!
Nunca fui a mais supersticiosa, mas na virada de 2009-2010 foi o primeiro Revéilon que não fui à beira do mar pular minhas ondinhas e pedir a benção da Mãe Iemanjá e meu ano foi ruim. Muito ruim!
O problema é que a Dani teve muito medo dos fogos, então nos obrigamos a não sair de dentro de casa. E esse ano, depois de muita conversa, ela pediu para ir à beira mar. Morreu de medo, chorou muito. Mas eu entrei na água à 24h, para tirar a uruca de 2010 - "Mãe, o que é uluca?" (by Dani).
E eis que há 11 dias tudo tem dado muito certo! Alice está super tranquila, parou com as choradeiras infindáveis. Tenho novidades profissionais, mas que só conto quando tudo estiver mas que fechado. Meu casamento anda de vento em popa, depois de um ano sou uma mulher amada e que ama muito o marido! Dani vai mudar de escola e está super feliz com a escolha da nova escola! Ou seja, 2011 começou PERFEITO!

E faremos de tudo para que assim continue!

FELIZ 2011!!!!!

Beijos